São CamiloIgreja
 
 
 
 

A importância do Sacramento da Confissão

08.04.2020 | 6 minutos de leitura
Igreja
A importância do Sacramento da Confissão

Os sacramentos são gestos, símbolos, e ações, como lavar e ungir, partir o pão, que podem ser captados pelos sentidos, mas, que o significado e o poder vão muito além deles, contribuindo para a santificação do homem e para a construção do Reino de Cristo. 

Dentre os sacramentos, podemos citar: Batismo, Eucaristia, Crisma, Penitência, Unção dos Enfermos, Ordem e Matrimônio. Eles atingem todas as etapas e todos os momentos importantes da vida cristã, dão à vida de fé dos cristãos origem e crescimento, cura e missão. 

A penitência ou confissão é um dos sacramentos mais temidos, seja por medo, por anseio ou por "não saber o jeito certo de se confessar". Para ajudar a mudar esse cenário e mostrar a importância de se fazer a confissão, elencamos alguns tópicos a seguir. Continue a leitura e confira!

Sacramento da Confissão

Instituído pelo próprio Jesus Cristo, o Sacramento da Confissão é a volta a Deus. Aqueles que se aproximam do sacramento da penitência obtêm, da misericórdia divina, o perdão da ofensa feita ao Senhor e, ao mesmo tempo, são reconciliados com a Igreja que feriram, colaborando para a conversão de seus pecados com caridade, exemplo e oração.

Para fazer uma boa confissão e entender qual a sua importância em nossas vidas, são necessárias algumas condições básicas. Acompanhe:


1- Exame de consciência  
Um bom e honesto exame de consciência diante de Deus é o primeiro passo para a confissão verdadeira. Reflita sobre sua vida, tire um tempo para analisar o que você possa estar fazendo de errado e que não agrade a Deus. Seja sincero, reconheça suas atitudes falhas, saiba admitir e aceitar os pecados. Assim, o perdão será de todo coração.

Se houver muita dificuldade ao fazer o exame de consciência, comece pelos 10 mandamentos. Aqui, deixamos algumas perguntas para você se inspirar:

Amei a Deus acima de tudo?
A quem ou o que dei a maior atenção?
Sei, na prática, o que é confiar no amor e no poder de Deus?
Confio tudo a Deus ou quero fazer tudo eu sozinho?
Confio em Deus quando tudo parece ir mal?
Caí na superstição ou outra prática religiosa alheia ao cristianismo?
Doei tempo para ficar com a família? Obedeço meu pai e minha mãe?
Fui invejoso? Desejei os bens alheios?
Louvei a Deus; dei-lhe graças ou me queixei?

2- Arrepender-se de coração

O arrependimento sincero por ter ofendido a Deus e ao próximo é o segundo passo depois do exame de consciência. É importante que haja arrependimento e que possamos entender que determinadas situações podem ser evitadas. Essa é a melhor forma de crescermos espiritualmente, melhorando a cada dia como seres humanos e filhos de Deus.

3- A confissão nos traz paz
A culpa dos pecados pode nos confundir e nos levar a perder a paz e a alegria. Quando ouvimos as palavras do perdão de Deus, dos lábios do sacerdote na confissão, é como se um fardo fosse tirado das nossas costas. Sentimos novamente a paz no coração que vem de estar bem com Deus.

“O pecado é o motivo de tua tristeza. Deixa que a santidade seja o motivo de tua alegria”. (Santo Agostinho)

4- Tenha um propósito

Estabeleça um firme propósito diante de Deus de não pecar mais, de mudar de vida, de se converter. Não basta só confessar por confessar, é preciso ter um propósito de não repetir o erro duas vezes, de olhar para a confissão e sentir o desejo de mudar de vida, de seguir um novo caminho. 

Nas mãos sacerdotais que traçam sobre nós o sinal da cruz, estão as próprias mãos chagadas de Jesus, que apagará os nossos pecados e ressuscitará as nossas almas.

5- Seja objetivo e não tenha medo  
Faça uma confissão objetiva e clara ao sacerdote. Ser direto e não ter receio com as palavras é um dos caminhos a serem seguidos durante a confissão. O padre estará ali para te ouvir e perdoar em nome de Jesus. Deus usa instrumentos humanos para redimir a humanidade: usou Maria para trazer o seu filho ao mundo, usou os apóstolos para transmitir seus ensinamentos às nações e, ainda hoje, usa as mãos dos bispos e sacerdotes para trazer a sua presença e o seu perdão aos fiéis que desejam.

6- A confissão torna nossa vontade mais forte

Cada vez que experimentamos o sacramento da Confissão, Deus fortalece nossa vontade e nosso autocontrole para resistir às tentações que nos confrontam diariamente em nossas vidas. Tornamo-nos mais decididos a seguir a vontade de Deus e não nossos próprios caprichos, trilhando uma caminhada para o bem.

7- Cumpra a penitência com fidelidade 
Cumprir a penitência é tão fundamental quanto todas as outras etapas que já falamos aqui. Aceite e faça a penitência que o padre indicar como necessária, visando os pecados cometidos. Para buscar o perdão, de fato, é necessário que se cumpra a penitência com muita fé e sabedoria, redimindo-se de todo mal.

“A penitência é uma tarefa diária. O homem caminha sem cessar por este mundo cheio de poluição e torna-se praticamente impossível não se contaminar. Quando não de lama, ao menos de poeira”. (Santo Agostinho)

8- Conheça-te a ti mesmo

Santo Agostinho dizia que, “quem confessa os próprios pecados, está em harmonia com Deus. Deus acusa teus pecados; se te associas a Deus, destróis o que fizeste para que Deus salve o que ele fez”. Inúmeros outros santos e doutores da Igreja falam dessa importância de nos conhecermos bem. Ao nos conhecermos melhor, percebemos nossa natureza caída e, o quanto precisamos da ajuda da graça de Deus para viver bem. A confissão frequente ajuda a confiar em Deus para nos livrar de nossos pecados.

Como você viu, ela é um pilar de extrema importância para nossa vivência em plenitude com Deus e com nós mesmos. A graça que recebemos com o sacramento da Confissão nos ajuda a combater nossas faltas e falhas, quebrar mais facilmente nossos maus hábitos e vícios, com muito mais rapidez do que faríamos sem a graça sacramental.

Jesus era perfeitamente humilde, generoso, paciente e amoroso! Você gostaria de ser assim como Ele? 
Então, comece a viver o sacramento da Confissão!

Mais em Igreja
  •  
  •  
  •