São CamiloProvíncia
 
 
 
 

Novena na Companhia dos Mártires da Caridade (Parte 1)

15.05.2018 | 8 minutos de leitura
São Camilo
Novena na Companhia dos Mártires da Caridade  (Parte 1)

O dia dos Religiosos Mártires da Caridade foi instituído pela Consulta Geral no dia 2 de fevereiro de 1994, a ser celebrado em toda Ordem no dia 25 de maio, data do nascimento de São Camilo.


A celebração da novena dos Mártires da Caridade é uma ocasião privilegiada de revisitar a história de nossa Ordem e conhecer um pouco da vida de tantos religiosos que se imolaram no altar da assistência aos doentes. Momento oportuno de renovação interior e de retomada de entusiasmo apostólico para os religiosos e as comunidades.


Oração inicial (Rezar Oração Inicial para todos os dias)


Ó Deus, nosso Pai, nós te louvamos pela paixão, pela morte e ressurreição de Teu Filho Jesus, o mártir por excelência, do qual vem nossa salvação. Tu quiseste compartilhar o martírio Dele com nossos irmãos que dedicaram a vida no altar da caridade. Por amor a Ti e por fidelidade à sua consagração, dedicaram a própria vida até o último sopro, servindo as vítimas da peste e os marginalizados, testemunhando, assim, que ninguém tem maior amor do que os que dão sua vida por seus amigos.


Pai misericordioso, nós Te pedimos, pela intercessão de São Camilo e pelo exemplo desses homens de caridade, que se reforce em nós o desejo de servir sempre, com amor, Cristo, Teu Filho, nos nossos irmãos e irmãs doentes, desesperados e vítimas de desastres de qualquer natureza.

Santa Maria, amada por todos e venerada como Nossa Senhora da Saúde, escuta a nossa prece e intercede por nós junto a Teu Filho, Jesus Cristo, Nosso Senhor, que com o Pai e o Espírito Santo vive e reina nos séculos dos séculos. Amém!


>>>


PRIMEIRO DIA


(Oração inicial)


Irmão Aníbal Montagnoli


A pedido do Papa Clemente VIII, em 2 de junho de 1595, fez parte do grupo de oito camilianos que participou de uma expedição militar contra os turcos, na Hungria (Esztergom), para socorrer os doentes e os feridos. No mesmo mês, o grupo partiu de Trento. Ali foi aconselhado pelo Pe. Camillo – que também queria partir – com precisas instruções e recomendações, inclusive por escrito. Todos cumpriram suas tarefas de modo louvável.


Ir. Annibale, esgotado pelo esforço prestado na assistência aos militares contaminados e feridos, principalmente durante a batalha de Esztergom, morreu, felizmente, sobre uma carroça, nos braços de um religioso agostiniano, nos arredores do Palácio Real da Hungria, às margens do Danúbio, em 4 de outubro de 1595.


Meditação


Eu vos exorto, irmãos, pela misericórdia de Deus, a oferecerdes vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus: este é o vosso verdadeiro culto. Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos, renovando vossa maneira de pensar e julgar, para que possais distinguir o que é da vontade de Deus, a saber, o que é bom, o que lhe agrada, o que é perfeito. (Rm 12, 1-2).

Graças a Vós, ó Sumo Deus, porque nos fazeis reconhecer-Vos nestes Vossos Servos, que doaram sua vida para Vos servir entre os pobres, mesmo com risco de vida, apenas tendo como justificativa a santa caridade (Cardeal Ginnasi, 1630).


Pai Nosso – Ave Maria – Glória.


>>> 


SEGUNDO DIA


(Oração inicial)


Irmão Olimpio Nofri


Em 1630, a peste negra assediava muitas cidades na Itália. O escritor italiano Manzoni nos fala dos horrores da peste em Milão, onde faleceu uma boa parte dos sessenta “Ministros dos Enfermos” que ali moravam.


Em Milão, morreram em tal circunstância, 17 dos Filhos de Camilo. Entre eles estava o caro Irmão Olimpio Nofri, tão querido pelo Fundador, que disse: “ótimo no servir os pobres”. O heroico Irmão, após ter oferecido suas forças na assistência às vítimas da peste, percebendo que ele mesmo estava contaminado, não aceitou os cuidados dos coirmãos para que eles pudessem continuar a servir os outros, arrastou-se até o cemitério, fora de Porta Ludovica, tão logo recebeu os sacramentos e, moribundo, aguardou a morte.


Meditação


Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo que cai na terra não morre, fica só. Mas, se morre, produz muito fruto. Quem se apega à sua vida, perde-a; mas quem não faz conta de sua vida neste mundo, há de guardá-la para a vida eterna. Se alguém quer me servir, siga-me, e onde eu estiver, estará também aquele que me serve (Jo 12, 24-26).


Oração


Jesus, ajuda-nos a seguir-Te não só com nobres pensamentos, mas a percorrer Tua vida com o coração e com os passos concretos de nossa vida cotidiana.


Jesus, faz-nos fortes e corajosos, vivendo como o grão de trigo. Faz com que caminhemos com humildade pelo caminho da cruz, sempre fiéis a ti.


Livra-nos dos medos da ridicularização alheia e de doar nossa vida, assim como fizeste.

Senhor, dá-nos a capacidade de discernir o bem do mal. Ajuda-nos a desmascarar as tentações que prometem felicidade, cujas consequências são apenas vazio e desilusão.


Pai Nosso – Ave Maria – Glória.


 >>>


TERCEIRO DIA


(Oração inicial)


Padre Pedro Pelliccioni


Nasceu em 1579 em uma família estruturada, foi acolhido pela Ordem e por Camilo em 25 de dezembro de 1595 e em 8 de janeiro de 1598 professou seus votos. Estudou no Colégio da Companhia de Jesus de Brera, em Milão. Depois da profissão, Camilo incentivou-o a aprofundar os estudos teológicos no Colégio Romano. Trazia notável bagagem cultural além de ser comunicativo e de ter habilidade para escrever. Era sociável, espontâneo, dinâmico, inclusive no ministério, muito apreciado pelo Fundador.


Após o VII Capítulo Geral, foi designado para trabalhar em Gênova, assistindo os soldados espanhóis no isolamento marítimo no largo de Savona. Faltava tudo aos soldados em quarentena devido à contaminação de tifo naval, doença contagiosa, nociva como a peste. Dedicou-se integralmente aos doentes, assim como outros camilianos, que ele animava exemplarmente com atitudes e palavras. Porém, em pouco tempo, foi contagiado e transferido para Gênova, vindo a falecer em 22 de agosto de 1625, aos 46 anos de idade.


Meditação


Somos o fermento de Cristo, crescido no sol de Deus, misturados na água da fonte, marcados pelo carisma divino.

Transforma-nos em pão, ó Pai, pelo sacramento da paz: um só Pão, um só Espírito, um só Corpo, a Igreja una, santa, ó Senhor.

Chama-nos para aliviar a dor na escola do pai Camilo, unamos as mãos ao coração, ministros do Filho que sofre.

Ó Cristo, nosso  pastor, para Ti a potência e a honra, com o Pai e o Espírito Santo nos séculos dos séculos. Amém!


Pai Nosso – Ave Maria – Glória.


 >>>


QUARTO DIA


Oração inicial 


Padre Francisco Amadio


Nasceu em uma família estruturada, entrou para a Ordem em 22 de abril de 1590, professou em 5 de março de 1592 e foi ordenado sacerdote em 1594. Dirigiu várias casas, além de ter sido fundador e superior da casa de Mântua, no norte da Itália. Sempre se portou com modéstia, iniciativa, prudência e caridade. Participou ativamente da vida da Ordem e foi indicado por Camilo entre três nomes que poderiam suceder Pe. Oppertis como Geral.


Morreu em Mântua, em fama de santidade, no dia 26 de julho de 1629, quando ainda era superior e provincial de Bolonha.


Meditação


Nos momentos de tristeza, no sofrimento da doença, na angústia da perseguição e na dor do luto, cada um procura uma palavra de consolo. Sentimos intensamente a necessidade de alguém que se aproxime de nós e sinta compaixão por nós. Experimentamos o que significa estar desorientados, confusos, feridos profundamente, como jamais poderíamos imaginar. Olhamos a nosso redor, incertos, para ver se encontramos alguém que possa realmente entender a nossa dor. A mente se preenche de perguntas, mas as respostas não chegam. Apenas a razão não é capaz de iluminar o íntimo, de colher a dor que sentimos e dar a resposta que esperamos. Nesses momentos, necessitamos muito mais das razões do coração, as únicas capazes de nos fazerem compreender o mistério que envolve nossa solidão (Papa Francisco, 5 de maio de 2016).


Pai Nosso – Ave Maria – Glória.


 >>>


QUINTO DIA


(Oração inicial)


Padre João Coquerel


Natural de Artois, na França, entrou para a Ordem aos 26 anos e já tinha trabalhado em hospital. Professou em Florença em 16 de outubro de 1602. Foi superior de várias comunidades e da comunidade de Mântua, com aproximadamente vinte religiosos. Foi provincial de Bolonha, em 1629, depois da morte de Pe. Amadio.


Empenhou-se pessoalmente na assistência aos doentes, suprindo as mais diversas necessidades. Afinal, “médicos e barbeiros estavam quase todos mortos, e os poucos que restavam não queriam atender os doentes; o pior era que os raros padres presentes fugiam dos pobres moribundos, sem dar-lhes os sacramentos. Muitos doentes morriam sem confissão e comunhão” (Capilupi, 541). Imerso na incessante dedicação, contagiou-se e faleceu “de peste negra”, em 6 de abril de 1630.


Meditação


Através do ministério da misericórdia para com os enfermos, professado com voto, contribuímos para o bem e a promoção de toda a família humana - cujas alegrias, esperanças, lutas e angústias encontram eco em nosso coração - e cooperamos na edificação e o crescimento de todo o Corpo de Cristo. Por isso, seguindo o exemplo do Santo Padre Camilo, nos esforçamos em estimar sempre mais, amar de todo coração e praticar com todas as forças o serviço aos enfermos, também com risco de nossa vida (Constituição, 12).


Pai Nosso – Ave Maria – Glória.


 >>>


Continua nesse post.

 

Mais em São Camilo
  •  
  •  
  •