São CamiloIgreja
 
 
 
 

Como viver a espiritualidade nas férias

19.12.2018 | 5 minutos de leitura
Igreja
Como viver a espiritualidade nas férias

As palavras descanso ou repouso podem ser encontradas ao longo da bíblia em diversos momentos. O primeiro deles é, por exemplo, quando Deus cria o mundo. “No sétimo dia, Deus já havia concluído a obra que realizara, e nesse dia descansou. Abençoou Deus o sétimo dia e o santificou, porque nele descansou de toda a obra que realizara na criação” (Gn 2,2-3).


Isso significa que Deus nos mostra o descanso como fundamental em nossa vida para recarregar e continuar a missão. É preciso desse tempo para o corpo e para a mente, assim como para o espírito. Afinal, é necessário repousar o espírito em Deus, na confiança que se tem no Senhor, em sua misericórdia.


A cada tempo da vida há o devido repouso cujo devemos respeitar. Então, a cada dia, uma noite de sono, a cada 5 dias de trabalho, dois de lazer, ou para alguns apenas o domingo, e assim por diante, bem como os feriados, que permitem uma pausa a mais. E por último, mas com certeza não menos importante, as férias, época em que se é possível ter um tempo ainda maior para descanso.


As férias, para serem bem aproveitadas, devem, ainda que em seu pleno relaxamento, ser de certa forma planejadas, não só em relação a fazer uma viagem em família, como para poder resolver as pendências pessoais que no dia a dia de trabalho é mais difícil, entre outros, mas principalmente também para viver ainda melhor a espiritualidade.


Saber bem aproveitar o tempo é essencial para ter uma vida fortalecida em Deus.


Por exemplo, a escolha de para onde vamos nas férias, os locais e ambientes frequentados propiciam esse contato com Deus? Ou, pelo contrário, nos distanciam e trazem ainda mais agitação com o aglomerado de pessoas? Será que nos preocupamos em nos afastar do tumulto mundano para bem viver esse momento obtendo paz e nos reencontrando com Deus através da natureza e das coisas simples?


Algumas coisas a se fazer nesse período que direta ou indiretamente nos aproximam de Deus, por exemplo, são:


Estar em família


Longe dos bares, baladas e ambientes pecaminosos, longe das amizades que só nos levam a aproximar-nos de realidades que não condizem com a nossa fé, é necessário buscarmos aqueles que, pelo contrário, fazem parte da nossa real essência e nos aproximam dela, a família.


Manter a convivência no período de férias com a família e com as pessoas que amamos, nos aproxima de Deus, pois indiretamente vivemos Deus quando estamos em família.


Estar por inteiro com a família, dividir momentos, desconectar do mundo e das tecnologias por completo para de fato estar ali é essencial para um bom reabastecimento, a aproximação de Deus em meio às férias.


Quem sabe esses momentos tornam-se oportunos para ler a Palavra, meditar sobre ela, confraternizar, se aprofundar espiritualmente e suavizar o peso de dificuldades do dia a dia ou rotina de trabalho e estudos em grupo.


Trazer simplicidade nos detalhes


Nem sempre férias é sinônimo de viagem, nem sempre há dinheiro e principalmente para essas situações, mas também em todas as outras na vida, é preciso ter a consciência do quanto a simplicidade gera frutos positivos.


Quantas são as pessoas que até têm a oportunidade de viajar bastante, para lugares maravilhosos, caros, mas não possuem fé, não possuem uma família unida, não estão alicerçadas em valores sólidos, em Cristo? Não estejamos cada vez mais cheios do vazio, é preciso que aproveitemos as pequenas oportunidades para nos enchermos do Espírito Santo, do que realmente irá transformar a nossa vida e levará nós e o próximo aos céus.

Há momentos inesquecíveis que o dinheiro não compra, e você através da criatividade pode agregá-los às férias para conquistar. Seja fazer algum esporte, ir ao parque, estar em contato com a natureza, propiciar a saúde e o bem-estar, cozinhar algo diferente para as pessoas que ama, os verdadeiros amigos...


Criar esses momentos de troca, de aprendizado, de amor, de partilha que indiretamente nos aproximam de Deus também.


Não fazer nada


Não fazer nada pode significar fazer muita coisa ao mesmo tempo. Por exemplo, nossa mente precisa de paz para funcionar melhor, se manter em tranquilidade, longe da agitação, da pressão para ter ideias ainda melhores, expandir a criatividade, enfim, relaxar pelo simples fato de não fazer nada, pelo simples fato de de repente deitar numa rede e só olhar para o nada, apreciar a natureza entre outros.


Então, se permita realmente essa parada, nada de sair de férias com a agenda lotada, cheio de eventos, compromissos com as pessoas, um planejamento de estudos pesado... O equilíbrio é que é benéfico, mas faça questão de priorizar os momentos sozinho, em que na verdade você não estará sozinho, mas ainda mais perto de Deus, para ouvir melhor a Sua voz. Permita-se o descanso!


Alimente o espírito


Claro que além de se aproximar de Deus de todas essas formas indiretamente, é vital se manter próximo de Deus diretamente falando. O corpo está ligado ao espiritual, é preciso então alimentá-lo diariamente.


Buscar Deus, fazer orações, meditar, reservar tempo para Deus, para a leitura da Palavra individualmente, fazer um retiro, ir à missa, silenciar... Isso nos reconecta a Deus, nos religa. 


Deus está presente junto a nós todos os dias de nossa vida, permitamos também que ele esteja presente nos momentos de lazer e de descanso, que o enxerguemos nesses momentos ao nosso lado. Assim como diz o salmista: “Quando ando e quando repouso, vós me vedes...” (Sl 138,3).


Viva constantemente essa espiritualidade e aproveite verdadeiramente esse tempo ainda mais para agradecer as bênçãos recebidas ao longo de um ano inteiro.

 

Mais em Igreja
  •  
  •  
  •