VocaçãoSão Camilo
 
 
 
 

O que a Páscoa nos ensina sobre o discernimento vocacional?

10.04.2019 | 3 minutos de leitura
Vocação
O que a Páscoa nos ensina sobre o discernimento vocacional?

A Páscoa representa a vida nova. Para os católicos é a data mais importante do calendário religioso, superando inclusive o Natal. Isso, porque é o momento em que ocorre a Ressurreição de Cristo.

• Durante a Quaresma

Ao longo da Quaresma, que antecede esta data, vivemos 40 dias de aprofundamento espiritual, penitência, oração, caridade e reconciliação com Deus e os irmãos.

Todo este tempo é destinado a essas práticas justamente para podermos bem viver o dia da Ressurreição de Cristo e celebrar em comunidade. Afinal, é preciso a conversão para podermos verdadeiramente celebrar a vida nova!

Jesus passou por Sua Paixão, Morte, e ao terceiro dia ressuscitou, ou seja, morreu e voltou à vida, venceu a morte e depois subiu aos céus. Essa é a prova maior de que Ele é o caminho, a verdade e a vida.


• Entrega e vocação

A maior ligação entre o tempo da Quaresma, a Páscoa e a vocação é de fato sua representatividade na entrega.

Durante este tempo, no qual devemos praticar o jejum, a caridade e a oração de forma intensa, nos colocamos à prova. E para aqueles que sentem o chamado vocacional para a ordenação sacerdotal ou à vida religiosa é indispensável e especial nesse período fazer uma autoanálise dos limites humanos que se tem para lidar com as privações.

Lembrando que, independentemente do caminho vocacional que a pessoa seguir, ela sempre se privará de algo, e em contrapartida se beneficiará de algo único, o importante é se conhecer bem e criar ainda mais intimidade com Deus para compreender de forma clara qual é o Seu chamado.

Além das práticas comuns da Quaresma, em especial o sacerdote tem ainda outros afazeres intensos neste tempo, como o alto volume de confissões ou as peculiaridades de cada celebração, que exigem o dom de serviço e pobreza, humildade e busca da semelhança com Cristo, entre outros. É preciso então, se abrir a esta missão com total entrega, como eles fazem.


Leia também:


• Discípulos de Cristo

Já os discípulos e apóstolos de Jesus foram chamados a renunciarem a si mesmos para poderem segui-Lo: 

“Jesus dizia a todos: "Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome diariamente a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida a perderá; mas quem perder a vida por minha causa, este a salvará”
(Lc 9,23-24).


Então, a escuta ao chamado de Deus é para aqueles que querem verdadeiramente tomar sua cruz e segui-Lo, independentemente da vocação a ser entendida. Praticando a caridade, vendo o Cristo nos que mais precisam, assim como se busca fazer na Ordem dos Ministros dos Enfermos, sendo verdadeiramente discípulos seus e apóstolos nos dias atuais.


• Uma Páscoa que aviva vocações

Que este tempo nos leve a refletir e estar ainda mais próximos de Deus a fim de escutar Seu chamado, aproveitando as oportunidades de serviço para colocar os dons em prática e sentir qual caminho seguir.

Gostou deste conteúdo?

Continue a navegar em nosso blog e acompanhar muitos outros artigos sobre vocação. Aproveite e se abra a conhecer melhor a Ordem dos Ministros dos Enfermos e o carisma camiliano da Misericórdia.




Mais em Vocação
  •  
  •  
  •