São CamiloProvíncia
 
 
 
 

A espiritualidade de um Camiliano

30.01.2018 | 4 minutos de leitura
Província
A espiritualidade de um Camiliano

Ao longo dos quatro séculos da história da Ordem, os religiosos camilianos têm bebido na fonte da espiritualidade centralizada na presença de Cristo nos enfermos e em quem os serve em seu nome, vendo nela os requisitos objetivos para alcançar a perfeição evangélica pessoal e comunitária.


ESPIRITUALIDADE CAMILIANA


Em primeiro lugar, a espiritualidade é camiliana porque tem a ver com um homem chamado Camilo, quem viveu uma confluência admirável de ação gratuita e amorosa de Deus e de resposta do homem. Em São Camilo, Deus inspira as pessoas a serem como o Bom Samaritano. Nele, a humanidade doente, ferida e perdida se encontra com a graça, saúde e salvação divinas.


A espiritualidade camiliana foi nele forjada, sob o impulso do carisma recebido do Espírito, no dom de viver somente Cristo misericordioso, de reproduzir suas atitudes e sentimentos, de servir aos enfermos em virtude da graça que transforma toda a pessoa, com o amor do Espírito e com o coração materno, como a Mãe do Salvador.


Para os Camilianos, a vida espiritual, entendida como vida em Cristo, segundo o Espírito, adquire um caráter peculiar devido ao carisma da caridade misericordiosa, dom de Deus a São Camilo, transmitido por ele a seus seguidores. Em virtude do carisma da Ordem, o Camiliano está chamado a configurar-se de forma peculiar com um aspecto da pessoa do Senhor, aquele da caridade misericordiosa, e expressar em sua vida pessoal e comunitária características específicas do único mistério de Cristo.


REZAR COMO CAMILIANOS


Rezar como camilianos significa entender que espiritualidade e vida de oração são inseparáveis, pois as duas nutrem-se e têm necessidade uma da outra. Não existe uma “oração camiliana”, mas sim a oração cristã, que é contemplada no interior de uma relação, rica de nomes e matrizes de tantas experiências. Na origem dessa possibilidade relacional há sempre a iniciativa de Deus.


A espiritualidade camiliana configura-se em um modo de viver (resposta) o relacionamento/relação pessoal e comunitário com Deus, em virtude do dom/carisma recebido na comunidade camiliana pelo Espírito, pelo seguimento de Cristo Misericordioso. Conformando com Ele a própria existência, por ser testemunhos da ternura e da misericórdia redentora, reproduz os seus próprios sentimentos e posturas e as suas missões, acentuando, consequentemente, certas verdades de fé, preferindo certas virtudes sobre outras, sublinhando certas dimensões de oração e/ou práticas de piedade, etc.


A ORAÇÃO


A oração, e não só o carisma e a espiritualidade, faz o camiliano. Torna-se camiliano por meio de um específico, pessoal e cultivado relacionamento com Deus, o qual se descentraliza no cotidiano a partir de diversas expressões do ser camiliano: no ministério, na comunhão fraterna, entre outros, e, obviamente, na oração.


O mundo da saúde percorre as veias do camiliano. O ministério leva à oração, e essa, por sua vez, ao ministério. Na oração estão presentes: o homem sofredor, o doente, o moribundo; como recordação, estímulo e destinatários de uma súplica solidária.


Na Eucaristia está presente o leito do doente, o culto de Deus passa através do serviço, o Pão que se divide é o Bom Samaritano que se doa. Na oração descobrimos que o doente representa para nós uma nascente e um alimento de oração e de espiritualidade.


O Cristo Misericordioso é o terapeuta que cura os doentes partindo da experiência das próprias feridas e que, com a doação da sua vida, oferece saúde a todos. Nossa Senhora da Saúde, mãe dos enfermos, é aquela que Camilo tinha diante de si como modelo de amor para com o seu único filho enfermo, especialista em sofrimento e modelo de existência curada, sã e sanativa.

---

Reze conosco:


ORAÇÃO A SÃO CAMILO DE LELLIS


Glorioso São Camilo, volvei um olhar de misericórdia sobre os que sofrem e sobre os que os assistem. Concedei aos doentes aceitação cristã, confiança na bondade e no poder de Deus. Dai aos que cuidam dos doentes dedicação generosa e cheia de amor. Ajudai-me a entender o mistério do sofrimento, como meio de redenção e caminho para Deus. Vossa proteção conforte os doentes e familiares, e os encoraje na vivência do amor. Abençoai os que se dedicam aos enfermos, e que o bom Deus conceda paz e esperança a todos. Amém.

Pai Nosso, Ave Maria e Glória.

São Camilo, rogai por nós!

 

Fonte - Espiritualidade Camiliana – intinerários, desafios e perspectivas (Angelo Brusco, Francisco Álvarez, Leo Pessini (orgs.)

Mais em Província
  •  
  •  
  •