São CamiloIgreja
 
 
 
 

Camilianos no Mundo - Testemunho da América

14.03.2018 | 3 minutos de leitura
Província
Camilianos no Mundo - Testemunho da América

A presença dos Religiosos Camilianos no Peru data de 9 de janeiro de 1709, quando o Pe. Golbodeo Carami chegou na cidade de Lima, para pedir esmolas para a beatificação de São Camilo. Fiel ao serviço e ao carisma camiliano, ele começou a acompanhar os mais necessitados, ganhando muito rapidamente a estima e a popularidade entre os povos de Lima, que não hesitaram em convencê-lo a fundar uma comunidade na Cidade dos Reis. Em 1916, a primeira comunidade camiliana começou com a chegada do Pe. Juan Muñoz de la Plaza e Martín de Andrés Pérez.


O crescimento da comunidade foi vertiginoso à medida que começaram a aceitar vocações e a ampliar seu serviço para diferentes partes do Peru, como: Huamanga (Ayacucho), Arequipa e América Latina como Popayán (Colômbia), Quito (Equador), La Paz (Bolívia). As circunstâncias políticas do final do século XVIII e todo o século XIX tornaram-se reduzidas ao antigo convento camiliano da América: o Convento da Buenamuerte, que nunca foi fechado.


No início do século XX, a fidelidade ao carisma permitiu que continuassem a ser chamados de “Padres da boa morte” porque permaneceram firmes no acompanhamento do bem morrer em casas particulares e pequenos hospitais da cidade. Já neste momento, a chegada de muitos religiosos da Alemanha, Itália e Áustria permitiu aceitar grandes desafios nos novos hospitais e clínicas da cidade.


Entre 1900 e 1923, a presença do Beato Pe. Luis Tezza no país, o "Apóstolo de Lima", que recebeu o nome de reformador do Convento, foi muito importante para a missão Camiliana. Já por volta de 1940, a presença dos religiosos espanhóis Camilianos fortaleceu o serviço e as novas iniciativas. Foi assim que a “Clínica de San Camilo” e as clínicas ambulatoriais surgiram, como uma obra camiliana própria. Desde 1978, a presença dos sacerdotes da Província  Lombardo-Vêneta permitiu a continuidade camiliana.


Eles começaram a construir novos espaços: as casas de treinamento para os diferentes estágios, a casa de Retiro Siloe, o centro de Formação em Saúde “San Camilo”, “Hogar San Camilo” para pessoas com HIV / AIDS (Lima, Arequipa, Huancayo), os Albergues Rebuschini; começaram a preparar Agentes da Pastoral da Saúde, e teve início a Família Camiliana Leiga. Da mesma forma, algumas paróquias foram aceitas: Nossa Senhora do Pilar, Nossa Senhora de Guadalupe, Igreja de Belém.


Hoje em 2018, somos 30 religiosos, 26 sacerdotes e 4 irmãos. Estamos presentes em três cidades do Peru: Lima (3 comunidades), Arequipa e Huancayo. Realizamos serviço de capelania em 13 hospitais, 1 centro geriátrico, temos 5 trabalhos próprios. Desta forma, continuamos a ser a presença de Cristo, o Bom Samaritano, nesta bela terra do Peru.


 

Fonte - Pe. Alex Spencer Ballena Rios

Mais em Província
  •  
  •  
  •