São CamiloVocação
 
 
 
 

Carta de abertura do Ano Vocacional

18.12.2018 | 4 minutos de leitura
Província
Carta de abertura do Ano Vocacional

Novos em Cristo: um coração solidário para amar e servir é o tema escolhido para a celebração do Ano Vocacional Camiliano, em 2019. Tal iniciativa partiu da equipe de formação e de animação vocacional, como resposta à primeira prioridade eleita no último capítulo provincial: “assumir a formação e a pastoral vocacional como prioridade para o triênio de 2017-2020”. Assim, convocamos a realização do Ano Vocacional, em todos os âmbitos da Província, iniciando em 2 de fevereiro de 2019 – Festa da Apresentação do Senhor e também dia da conversão de nosso fundador, São Camilo –, no Santuário Nacional de Aparecida, e que terminará em 8 de dezembro de 2019 – Solenidade da Imaculada Conceição –, no Santuário São Camilo, no Rio de Janeiro.


O objetivo primeiro do Ano Vocacional Camiliano é celebrar a alegria de ser camiliano, pois o Espírito Santo de Deus suscitou em Camilo um carisma vivo e necessário em todos os tempo e lugares – ser presença misericordiosa junto aos doentes e sofredores. Camilo respondeu ao chamado com vigor, entusiasmo, força e determinação, mesmo com todas as suas limitações físicas e humanas. Viveu o carisma com fé e amor, sem medir esforços para promover a vida e a dignidade. A alegria de Camilo foi um sinal profético e de esperança não somente para os doentes, mas, também, para os que desejavam partilhar da escola da caridade.


Não são poucos os pensadores contemporâneos que apresentam o atual contexto como fragmentado, secularizado e hedonista; vive-se numa conjuntura de mudança de época que provoca inúmeras “crises”, pois as estruturas são facilmente relativizadas. Estamos inseridos nesse contexto, e, portanto, não é possível vivermos à parte, somos tomados pela cultura da imagem e do imediatismo. Como responder a esses desafios? Como religiosos, precisamos voltar àquele que nos chamou e, por meio de nossa resposta, assumirmos uma missão. Viver com fidelidade o chamado e responder, diariamente, à vocação que abraçamos.


São Camilo acolheu com disponibilidade e docilidade o chamado de Deus, percebeu a dor e o sofrimento dos doentes e pobres. Viveu ele próprio a experiência do pecado e da enfermidade. Nossa Constituição, no n.º 8, afirma: “São Camilo, instrumento ele próprio da misericórdia e amadurecido pela experiência do sofrimento, seguindo o exemplo e o ensinamento de Cristo misericordioso, foi chamado por Deus para assistir os enfermos e ensinar aos outros como servi-los”. Da mesma forma, também nós recebemos o chamado e ingressamos na escola de Camilo, reconhecida pela Igreja como “nova escola da Caridade”. Tanto como religiosos quanto como leigos somos convidados a viver o carisma, pois como Camilo, “nós acreditamos no amor” (1Jo 4,16) e precisamos fazer com que esse amor se torne presença humanizadora no mundo da saúde.


Este Ano Vocacional deve propiciar em nós o fortalecimento de nossa consagração à vida religiosa ou a nosso profissionalismo como promotores da vida e da saúde. Nesse sentido, o Evangelho deve ser nossa fonte inspiradora, mas a vida de Camilo também pode nos guiar a viver nossa vocação. Por isso, convido os religiosos a, sem medo, voltar a estudar a vida de nosso fundador, sua carta testamento, seus escritos e ensinamentos, para que possamos fortalecer o sentido de nosso “sim” a Deus, bem como a reler outros textos importantes do magistério da Igreja acerca da vida religiosa consagrada. O Ano Vocacional somente terá sentido se provocar em nós uma reflexão acerca de nossa consagração e de nosso modo de ser na Igreja e no mundo.


Convido, também, todos os leigos que vivem o nosso carisma, seja como membros da Família Camiliana, leigos de nossas paróquias, agentes de Pastoral da Saúde ou funcionários de nossas entidades, a acolher e a viver este tempo de graça. A peregrinação da imagem e da relíquia de São Camilo, além de ser um momento de fé e de espiritualidade, é também um momento forte para internalização dos valores camilianos do cuidado e da promoção da vida. Que as palavras do Evangelho: “Estive enfermo e me visitastes” (Mt 25,36) sejam inspiradoras para vivermos o carisma da misericórdia.


Confiamos à proteção materna de Nossa Senhora da Saúde o bom êxito do Ano Vocacional. Que o “sim” de Maria nos inspire a viver com fidelidade nosso “sim”, o qual deve ser renovado diariamente no exercício do nosso ministério! Maria, Rainha dos Ministros dos Enfermos e mãe das vocações, acompanhe-nos com sua proteção materna.


Mais em Província
  •  
  •  
  •